Sobre o Fundo

Objetivo

O objeto do fundo é proporcionar aos Cotistas a valorização de suas cotas através de investimentos em certificados de recebíveis imobiliários (CRIs).

É bom para

Investidores em geral que buscam investir em uma carteira diversificada de operações de crédito privado com lastro imobiliário.

Rendimentos Mensais

Pagos até 13º dia útil do mês subsequente. Todos os rendimentos pagos já são líquidos de custos e imposto de renda para pessoa física.

Início

23 ago. 19

Acesso

A quem deseja investir em títulos de renda fixa imobiliária com apoio de uma equipe de gestão profissional.

Aplicação inicial

Valor referente a uma cota, de acordo com o preço que está sendo negociado na Bolsa.

Taxa de Administração

1,00%

Monitoramento

Acompanhamento ativo para garantir que a carteira de crédito permaneça saudável e a rentabilidade aderente ao benchmark.

Política de Investimento

As distribuições de rendimentos do Fundo serão realizadas com base no limite mínimo legal, qual seja, 95% (noventa e cinco por cento) dos lucros do Fundo, apurados segundo o regime de caixa, nos termos da legislação e do regulamento do Fundo

Como Investir

As cotas do fundo são negociadas na B3 sob o código ‘MCCI11’, e sua aquisição pode ser feita por meio de uma corretora credenciada ou diretamente pelo home broker.

Tire suas dúvidas sobre o fundo imobiliário de CRI da Mauá Capital

As cotas do fundo são negociadas na B3 sob o código ‘MCCI11’, e sua aquisição pode ser feita por meio de uma corretora credenciada ou diretamente pelo home broker.

O investidor pessoa física tem isenção de IR sobre os dividendos mensais distribuídos pelo fundo, mediante determinadas condições: o investidor não pode ter mais de 10% das cotas do fundo, que precisa ter no mínimo 50 cotistas e as cotas negociadas em bolsa ou mercado de balcão organizado. Ao vender as cotas do fundo no secundário, haverá incidência de 20% de IR sobre o lucro auferido.

Os valores serão creditados mensalmente na conta cadastrada na corretora, para o cotista posicionado na data de divulgação do rendimento.

Sim. A Lei Federal 8668/1993 estabelece que os fundos imobiliários são obrigados a distribuir, no mínimo 95% do seu resultado semestral (receitas menos despesas). Embora a legislação preveja a distribuição semestral de dividendos, é uma prática comum do mercado o pagamento em periodicidade mensal a título de antecipação. Estarão isentos da distribuição os fundos que não tiverem lucro no semestre ou em caso de anuência dos cotistas em assembleia.

A Letra de Crédito Imobiliário é um título de renda fixa emitido por uma instituição financeira com lastro em créditos imobiliários com garantia hipotecária ou alienação fiduciária. O vencimento da LCI não pode exceder o dos créditos imobiliários.

O Certificado de Recebíveis Imobiliários é um título de renda fixa emitido por uma securitizadora. O instrumento capta recursos destinados ao financiamento imobiliário e tem como lastro créditos da mesma natureza.

O fundo de CRI tem como característica a alta liquidez por ter suas cotas negociadas em bolsa, e por isso representa uma boa alternativa para investidores afeitos ao mercado imobiliário. Além disso, a seleção criteriosa dos ativos por um time de profissionais qualificados oferece ao cotista uma diversificação que mitiga o risco da carteira.

O investidor poderá vender as cotas do fundo no mercado secundário da B3 pelo preço que estiverem sendo negociadas na data escolhida.

O valor corresponde ao da cota do fundo no mercado secundário. Cabe destacar os custos que incidem sobre a operação, tais como as taxas de corretagem e custódia e os emolumentos Bovespa.

São os fundos que tem a maior parte do patrimônio líquido investidos em LCIs ou CRIs. Não há, portanto, imóveis físicos na composição da carteira, mas sim ativos financeiros com lastro em ativos imobiliários.

Taxa de administração (percentual anual cobrado sobre o patrimônio) e de performance (percentual sobre o lucro, caso exceda o benchmark). Há ainda as taxas cobradas por CVM e Anbima.